Saiba Mais

MPT realiza mediação com o Banco do Brasil

O Ministério Público do Trabalho (MPT) realizou mais uma audiência com o Banco do Brasil nesta sexta-feira (9), na Procuradoria-Geral do Trabalho (PGT), em Brasília. A empresa foi chamada para tratar do seu processo de reestruturação, que já resultou no fechamento de cerca de 600 agências em todo o país. A medida gerou perda de comissões e gratificações, com redução de salários.

Na reunião, ficou mantida a gratificação dos caixas até 31 de maio de 2017. Foram revertidos os casos de gestantes descomissionadas. Houve o cancelamento dos termos de adesão para recebimento de Vantagem de Caráter Pessoal (VCP), uma espécie de gratificação paga pelo banco.  No termo, o empregado renunciava às horas extras após a sexta hora trabalhada. Agora, a jornada do cargo atual é a única válida.

Também implantou-se o “adiantamento salarial para eventos extraordinários”, o que possibilita adiantar cinco salários, sem a cobrança de juros e I0F, com pagamento em até 48 parcelas. Haverá, ainda, a nomeação de 800 escriturários como caixas e a nomeação de dois caixas em agências Estilo.

Nova audiência está marcada para o dia 20 de julho.

Atuação – Esta é a quinta audiência realizada com o Banco do Brasil. Para a procuradora do Trabalho Ana Cristina Tostes Ribeiro, à frente do caso, a atuação é importante para ampliar o diálogo entre as partes.

As negociações também são acompanhadas pela vice-coordenadora nacional de Combate às Fraudes nas Relações de Trabalho, a procuradora do Trabalho Vanessa Patriota da Fonseca. “O nosso objetivo é realocar devidamente os empregados e tentar reduzir os prejuízos dos trabalhadores”, explica.

A mediação foi um pedido feito ao MPT pela Confederação Nacional dos Trabalhadores nas Empresas de Crédito (Contec) e pela Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf).

Fonte: Procuradoria Geral do Trabalho

Data da noticia: 12/06/2017