Saiba Mais

MPDFT inaugura Núcleo de Práticas de Mediação de Conflitos na região do Núcleo Bandeirante

Serviço atende a comunidade de Candangolândia, Park Way e Núcleo Bandeirante

Com o objetivo de resolver conflitos e consolidar uma cultura de paz, a Coordenadoria Administrativa do Núcleo Bandeirante, em parceria com o Centro Popular Vida e Juventude, criou o Núcleo de Práticas de Mediação de Conflitos. A iniciativa visa contribuir para a resolução de problemas sociais e para a diminuição de conflitos não judicializados. Os atendimentos, que contemplam a comunidade da Candangolândia, do Park Way e do Núcleo Bandeirante, têm alcançado mais de 85% de acordos.

A proposta do projeto de mediação ocorreu devido às dificuldades enfrentadas pelas redes sociais das cidades e instituições parceiras para a tomada de providências em relação a conflitos constantes e repetitivos que, muitas vezes, geram violência e processos judiciais. Para o promotor de Justiça Diógenes Lourenço, a mediação de conflitos é muito importante porque “propicia aos interessados a construção de alternativas de soluções para as situações de estresse dialógico, bem como possibilita aos demais envolvidos no conflito interceder para a busca em grupo de propostas que possam acrescentar melhorias na convivência diária”.

Como funciona

O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT), junto com a comunidade (rede social), seleciona os casos que não precisam ser judicializados e os encaminha ao Núcleo de Mediação de Conflitos do Núcleo Bandeirante. Intrigas entre vizinhos, namorados, síndico e condôminos; brigas com ou sem agressão física; e conflitos na família, no trabalho ou no trânsito são exemplos de situações que podem ser resolvidas no Núcleo.

A metodologia utilizada pelos mediadores é de escuta das pessoas, sem dar conselhos ou indicar culpados. Além disso, são feitas perguntas que ajudam as partes a perceberem a sua parcela de responsabilidade no fato que ocasionou o conflito. As assistências são realizadas às sextas-feiras, sempre que há demanda, das 9h às 12h, no Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) do Núcleo Bandeirante.

No Núcleo, os mediadores são todos voluntários. Para fazer parte do projeto, é necessário participar do curso de 16 horas, realizado duas vezes por ano, na Coordenadoria do Núcleo Bandeirante. O Núcleo funciona também como espaço de estágio e aperfeiçoamento da metodologia da mediação.

Antes da criação do Núcleo, o Centro Popular de Formação da Juventude ministrou três cursos sobre o assunto para membros e servidores do MPDFT, integrantes das redes sociais de Candangolândia, Núcleo Bandeirante e Park Way e comunidade. As atividades tiveram o objetivo de ensinar a teoria e a prática do processo de mediação de conflitos.

O Centro Popular de Formação da Juventude – Vida e Juventude realiza cursos de formação de mediadores de conflitos em todo o país. Já foram formadas mais de três mil pessoas, entre servidores públicos, lideranças comunitárias e estudantes de Serviço Social, Direito e Psicologia, entre outras especialidades. Para o Centro, “a transformação social não acontece sem o envolvimento de pessoas e organizações em torno de um mesmo objetivo: a superação da violência e a consolidação de uma cultura de paz”.

Fonte: http://www.mpdft.mp.br/portal/index.php/comunicacao-menu/noticias/noticias-2017/9300-mpdft-inaugura-nucleo-de-praticas-de-mediacao-de-conflitos-na-regiao-do-nucleo-bandeirante